CC BY-NC-ND 4.0 · Arquivos Brasileiros de Neurocirurgia: Brazilian Neurosurgery 2000; 19(04): 170-173
DOI: 10.1055/s-0038-1623306
Artigos Originais
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Osteoma craniano: Considerações sobre oito casos

Cranial osteoma. Considerations about eight cases
Carlos Umberto Pereira
,
João Domingos Barbosa Carneiro Leão
,
Alvino Dutra da Silva
,
Paulo Roberto Moura de Sousa
,
William Giovanni Panfiglio Soares
,
Marcelo Bravo de Oliveira Santos
Weitere Informationen

Publikationsverlauf

Publikationsdatum:
11. Januar 2018 (online)

Resumo

O osteoma craniano tem sido bastante relatado na literatura médica. Estima-se uma incidência de 0,1% a 0,43% no crânio. O osteoma pode ser esponjoso ou, mais comumente, do tipo sólido compacto. Sua etiologia é ainda hoje desconhecida e várias hipóteses têm sido consideradas, como infecções, trauma, radiações ionizantes e até mesmo influência hormonal. Afeta mais o sexo feminino e a idade adulta. A localização mais freqüente no crânio é no osso frontal. Na maioria dos casos é achado radiográfico acidental ou manifesta-se como exostose.

Os autores apresentam oito casos de osteoma craniano. O sexo masculino foi o mais afetado, representado por seis casos. A idade dos pacientes variou de 19 a 79 anos, com uma média de 56 anos. A localização dos osteomas foi occipital em três casos, frontal em três e parietal em dois. As queixas principais foram exostose em oito casos e dor local em sete. Todos os pacientes foram submetidos à radiografia simples do crânio e ao exame de tomografia computadorizada. Sete pacientes foram submetidos à ressecção cirúrgica, seguida de cranioplastia em cinco pacientes. Um paciente recusou a cirurgia. Não ocorreu óbito.

A finalidade deste trabalho é apresentar nossa experiência em osteoma craniano, chamando a atenção para sua benignidade e para o fato de que a ressecção cirúrgica é curativa quando não houver extensão intracraniana importante, bem como resolve o problema estético.

Abstract

Skull osteoma has been quite reported in medical literature. A 0.1% to 0.43% incidence is estimated in the skull. Osteoma can be spongy but it is more commonly of the compact solid type. Its etiology is still unknown, infection, trauma, ionizing radiation and even hormonal influence having been considered. It affects more adult females. The most frequent location in the skull is in the frontal bone. In most of the cases, they are accidental radiographic findings or associated with local swelling.

The authors present eight cases of skull osteoma. In this series there was a male preponderance (6:2). The age of the patients varied from 19 to 79 years (average of 56 years). The location of the osteomas was: occipital in three, frontal in three and parietal in two cases. The main complaints were local swelling in eight and local pain in seven cases. All patients were submitted to plain skull radiography and computerized tomography scans. Seven patients were submitted to the surgical resection, followed by cranioplasty in five. One patient refused surgical treatment. The surgical treatment was curative with excellent esthetic result in all.

Cranial osteomas are benign lesions and its surgical resection is curative when its intracranial extension is not important.

*Professor-Adjunto Doutor do Departamento de Medicina da UFS. Neurocirurgião do Hospital João Alves Filho, Aracaju, SE.


**Neurocirurgião do Hospital João Alves Filho, Aracaju, SE.


***Acadêmico de Medicina da Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE.