CC BY-NC-ND 4.0 · Arquivos Brasileiros de Neurocirurgia: Brazilian Neurosurgery 2018; 37(03): 174-181
DOI: 10.1055/s-0036-1583935
Original Article | Artigo Original
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Traumatismo cranioencefálico por colisão automobilística e alcoolismo no Piauí

Article in several languages: English | português
Benjamim Pessoa Vale
1  Instituto de Neurociências, Teresina, PI, Brazil
2  Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, São Paulo, SP, Brazil
,
Juçara Gonçalves de Castro
3  Faculdade Integral Diferencial, Teresina, PI, Brazil
,
Marx Lima Barros Araújo
1  Instituto de Neurociências, Teresina, PI, Brazil
,
Herb Barrêto de Morais
3  Faculdade Integral Diferencial, Teresina, PI, Brazil
,
Lívio Pereira de Macêdo
4  Hospital da Restauração, Recife, PE, Brazil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

11 January 2016

06 April 2016

Publication Date:
23 May 2016 (online)

  

Resumo

Objetivos Este estudo teve como objetivo conhecer a relação entre a ingestão de bebidas alcoólicas e a incidência de traumatismo cranioencefálico (TCE) grave com lesão axonal difusa (LAD), determinando esses índices, verificando comorbidades adquiridas e caracterizando o perfil das pessoas, segundo gênero, idade e raça/cor, além das características da colisão (veículo, turno, dia da semana e local), em pessoas admitidas em um hospital de urgência de Teresina.

Métodos Analisaram-se dados contidos em prontuários de pacientes admitidos com histórico de colisão automobilística e TCE grave em unidades de terapia intensiva, e baseados na ficha do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), no período de 28 de fevereiro a 28 de novembro de 2013.

Resultados No período da pesquisa, foram analisados duzentos indivíduos dos quais 54 (27%) haviam ingerido bebidas alcoólicas; destes, 11 apresentavam LAD. Em 17% da amostra havia a presença de LAD, no entanto, com dados ignorados a respeito da ingestão de bebidas alcoólicas.

Conclusão Considerando-se os dados, observou-se que o perfil do paciente vítima de traumatismo craniano é de homens pardos, com a maioria (53,5%) na faixa etária entre 15 e 30 anos de idade. As colisões ocorreram em sua maioria aos finais de semana e durante a noite (55%), e 89,5% envolviam motocicletas.