CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2019; 54(05): 605-608
DOI: 10.1016/j.rbo.2017.12.025
Relato de Caso | Case Report
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Origem da artéria cerebelar inferoposterior sobre o arco posterior de C1[*]

Article in several languages: português | English
1  Departamento de Neurocirurgia, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, PR, Brasil
,
Ricardo Munhoz da Rocha Guimarães
2  Departamento de Ortopedia, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, PR, Brasil
,
Emiliano Neves Vialle
1  Departamento de Neurocirurgia, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, PR, Brasil
,
Gelson Luis Koppe
1  Departamento de Neurocirurgia, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, PR, Brasil
,
Alexandre Novicki Francisco
1  Departamento de Neurocirurgia, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, PR, Brasil
,
Luana Antunes Maranha Gatto
1  Departamento de Neurocirurgia, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, PR, Brasil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

03 October 2017

21 December 2019

Publication Date:
19 September 2019 (online)

Resumo

A artéria cerebelar inferoposterior geralmente nasce do segmento intracraniano (V4) da artéria vertebral. Apesar de ter diâmetro médio de 2 mm, usualmente irriga áreas eloquentes do encéfalo. Quando ocluída, seja por trauma ou cirurgia, pode causar infarto no tronco encefálico e no cerebelo. Apresentamos um caso de artéria cerebelar inferoposterior com origem anômala no segmento cervical (V3) da artéria vertebral, demonstrado por angiografia. Os resultados foram registrados e comparados com os de publicações anteriores. Foram fornecidas breves explicações sobre a anatomia, anomalias vasculares e embriologia. A revisão da literatura mostrou que os ramos anômalos do segmento cervical da artéria vertebral são infrequentes e devem ser conhecidos. Uma melhor compreensão da anatomia e suas variações permite fazer um diagnóstico topográfico preciso, bem como planejar a abordagem e a terapia cirúrgicas ideais. O conhecimento dessa variação anatômica é essencial, pois, se confundida com um ramo muscular e coagulada, pode causar isquemia com sequelas incapacitantes.

Resumo

A artéria cerebelar inferoposterior geralmente nasce do segmento intracraniano (V4) da artéria vertebral. Apesar de ter diâmetro médio de 2 mm, usualmente irriga áreas eloquentes do encéfalo. Quando ocluída, seja por trauma ou cirurgia, pode causar infarto no tronco encefálico e no cerebelo. Apresentamos um caso de artéria cerebelar inferoposterior com origem anômala no segmento cervical (V3) da artéria vertebral, demonstrado por angiografia. Os resultados foram registrados e comparados com os de publicações anteriores. Foram fornecidas breves explicações sobre a anatomia, anomalias vasculares e embriologia. A revisão da literatura mostrou que os ramos anômalos do segmento cervical da artéria vertebral são infrequentes e devem ser conhecidos. Uma melhor compreensão da anatomia e suas variações permite fazer um diagnóstico topográfico preciso, bem como planejar a abordagem e a terapia cirúrgicas ideais. O conhecimento dessa variação anatômica é essencial, pois, se confundida com um ramo muscular e coagulada, pode causar isquemia com sequelas incapacitantes.

* Trabalho desenvolvido no Hospital Universitário Cajuru, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, PR, Brasil. Publicado Originalmente por Elsevier Editora Ltda.