CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2020; 55(03): 269-277
DOI: 10.1055/s-0040-1712972
Artigo Original
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Protocolo de intervenção do Departamento de Ortopedia e Traumatologia de um hospital universitário de alta complexidade para enfrentamento da pandemia de COVID-19[*]

Article in several languages: português | English
1  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP, Brasil
,
1  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP, Brasil
,
1  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP, Brasil
,
1  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP, Brasil
,
1  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP, Brasil
,
1  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP, Brasil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

14 April 2020

20 April 2020

Publication Date:
25 June 2020 (online)

Resumo

Objetivo Descrever os protocolos implementados para adequar a equipe ortopédica à pandemia de COVID-19 e, secundariamente, avaliar o comportamento de variáveis hospitalares e departamentais frente à implementação das medidas.

Métodos Estudo retrospectivo com descrição de três protocolos: 1) Redução do risco de contágio dos pacientes e profissionais de saúde; 2) Adaptação das atividades laborais, acadêmicas e científicas; e 3) Adaptação do tratamento ortopédico frente à pandemia. Foram analisadas variáveis hospitalares e departamentais como: número de pacientes atendidos no pronto-socorro e ambulatórios, pacientes internados, casos suspeitos e confirmados nos pacientes e na equipe ortopédica, mudança das atividades de ensino do modo presencial para videoconferência, e número cirurgias. Foi comparado o período A, de 03 a 16 de março, com o período B, de 17 a 30 de março, que corresponde à implementação dos protocolos.

Resultados Houve diminuição do número de pacientes atendidos e do número de pacientes internados. Foram notificados dois suspeitos e um confirmado. Dos integrantes do departamento, 12 foram suspeitos e 6 confirmados. Manteve-se a frequência semanal das aulas e as reuniões clinico-científicas diminuíram de dezpara três. Houve redução no volume de cirurgias.

Conclusões O presente estudo demonstrou a viabilidade e a eficiência da rápida implementação de protocolos de intervenção em meio ao cenário de pandemia por COVID-19. Os protocolos focaram na redução do risco de contágio dos pacientes e profissionais de saúde, na adaptação das atividades laborais, acadêmicas e científicas, e na adaptação do tratamento ortopédico. Com sua aplicação, mantiveram-se as atividades assistencial, acadêmica e científica funcionantes, priorizando-se medidas de enfrentamento à COVID-19.

* Trabalho desenvolvido no Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, SP, Brasil.