CC BY 4.0 · Rev Bras Ginecol Obstet 2020; 42(03): 152-159
DOI: 10.1055/s-0040-1708089
Original Article
Infertility/Image
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Junctional Zone in Infertile Women: A Three-dimensional Ultrasound Study

Zona juncional em mulheres inférteis: estudo por ecografia tridimensional
1   Service of Gynecology and Obstetrics, Centro de Procriação Medicamente Assistida, Hospital Senhora da Oliveira, Guimarães, Portugal
2   Escola de Medicina, Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde, Universidade do Minho, Braga, Portugal
,
3   Escola de Medicina, Universidade do Minho, Braga, Portugal
,
1   Service of Gynecology and Obstetrics, Centro de Procriação Medicamente Assistida, Hospital Senhora da Oliveira, Guimarães, Portugal
,
1   Service of Gynecology and Obstetrics, Centro de Procriação Medicamente Assistida, Hospital Senhora da Oliveira, Guimarães, Portugal
4   Department of Community Medicine and Health Decision, Faculdade de Medicina, Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, Universidade do Porto, Porto, Portugal
,
Maria Sofia Dantas Pinto Lobo Xavier
1   Service of Gynecology and Obstetrics, Centro de Procriação Medicamente Assistida, Hospital Senhora da Oliveira, Guimarães, Portugal
,
1   Service of Gynecology and Obstetrics, Centro de Procriação Medicamente Assistida, Hospital Senhora da Oliveira, Guimarães, Portugal
2   Escola de Medicina, Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde, Universidade do Minho, Braga, Portugal
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

09 September 2019

07 January 2020

Publication Date:
31 March 2020 (online)

Abstract

Objective To analyze the interobserver and intraobserver reproducibility of the visualization and continuity of the juncional zone (JZ) by three-dimensional (3D) ultrasound in infertile women, and to evaluate the sociodemographic, hormonal, and structural factors that influence these assessments.

Methods A prospective study conducted at the Assisted Reproductive Technology Unit of Hospital Senhora da Oliveira, in the city of Guimarães, Portugal. Transvaginal 3D ultrasonography was performed, and 2 volumes were generated per case. Two observers who were blinded to each other's work analyzed these volumes, choosing the best coronal section. Four months later, one of the observers performed the same methodology. The JZ visualization was classified as optimal, satisfactory, and unsatisfactory, and the JZ continuity, as continuous and discontinuous. The interobserver and intraobserver agreements were analyzed. The influence of hormonal, structural, and sociodemographic factors on the JZ was evaluated.

Results In total, 65 women were included in the present study. The interobserver reproducibility was substantial for JZ visualization and continuity (k = 0.635 and 0.753 respectively), and the intraobserver reproducibility was very good for JZ visualization and continuity (k = 0.884 and 0.816 respectively). Trilaminar endometrial pattern was associated with optimal JZ visualization (p = 0.012). The increase of 1 unit in the level of serum estradiol represents a 9.9% decrease in the odds of unsatisfactory visualization of the JZ (odds ratio [OR] = 0.9; 95% confidence interval [95%CI] = 0.814–0.996; p = 0.042). Endometriosis increases the odds of unsatisfactory visualization by 24 times (OR = 23.7; 95%CI = 1.262–437.057; p = 0.034). The prevalence of discontinuous JZs was of 60%. Myomas and endometriosis were associated with discontinuous JZs (p = 0.034 and 0.016 respectively).

Conclusion The assessment of JZ visualization and continuity by 3D ultrasound is reproducible enough to be used in the clinical practice.

Resumo

Objetivo Analisar a reprodutibilidade inter e intraobservador da visualização e continuidade da zona juncional (ZJ) por ecografia tridimensional (3D) em mulheres inférteis, e avaliar os fatores sociodemográficos, hormonais e estruturais que afetam essas avaliações.

Métodos Um estudo prospectivo conduzido no Centro de Procriação Medicamente Assistida do Hospital Senhora da Oliveira, em Guimarães, Portugal. Foi realizada ecografia transvaginal 3D e gerados 2 volumes por caso. Dois observadores, cegos às avaliações um do outro, analisaram os volumes obtidos e escolheram o melhor corte coronal. Após quatro meses, a mesma análise foi realizada por um dos observadores. A visualização da ZJ foi classificada como ótima, satisfatória e não satisfatória, e a continuidade, como contínua ou descontínua. Foram avaliadas as reprodutibilidades inter e intraobservador. A influência de fatores sociodemográficos, hormonais e estruturais na ZJ foi analisada.

Resultados No total, 65 mulheres foram incluídas no presente estudo. A reprodutibilidade interobservador foi substancial para a visualização e continuidade da ZJ (k = 0,635 e 0,753, respetivamente). A reprodutibilidade intraobservador foi muito boa para a visualização e continuidade da ZJ (k = 0,884 e 0,816, respetivamente). Endométrio trilaminar associou-se à visualização ótima da ZJ (p = 0.012). O aumento de 1 unidade no nível de estradiol diminuiu a chance de visualização não satisfatória da ZJ em 9,9% (razão de probabilidades [RP] = 0,9; intervalo de confiança de 95% [CI95%] = 0,814–0,996; p = 0,042). Endometriose aumentou a chance de visualização não satisfatória da ZJ em 24 vezes (RP = 23,7; CI95% =  1,262–437,057; p = 0,034). A prevalência de ZJs descontínuas foi de 60%. Miomas e endometriose associaram-se a ZJs descontínuas (p = 0,034 e 0,016, respetivamente).

Conclusão A avaliação da visualização e continuidade da ZJ por ecografia 3D é reprodutível, podendo ser utilizada na prática clínica.

Contributions

Vanessa Silva and Flávia Ramos participated in the study design, collection, analysis, and interpretation of data, writing of the article and critical review of the intellectual content. Filipa Brás, Ricardo Santos and Sofia Dantas participated in the participant recruitment, interpretation of data, and writing of the article. Rui Miguelote participated in the study design, participant recruitment, orientation, and critical review of intellectual content. All authors have read and approved the final version of the manuscript to be published.