CC BY-NC-ND 4.0 · International Journal of Nutrology 2017; 10(S 01): S335-S342
DOI: 10.1055/s-0040-1705660
ARTIGO ORIGINAL
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Impactos da microbiota intestinal na saúde do lactente e da criança em curto e longo prazo

Tadeu Fernando Fernandes
1  Pontifícia Universidade Católica de Campinas - Especialista em Pediatra pela SBP/AMB, Pós-Graduando em Nutrologia na Boston University School - Presidente do Departamento de Pediatria Ambulatorial da SBP Presidente da SPSP - Regional Campinas
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

30 August 2016

30 September 2016

Publication Date:
17 February 2020 (online)

RESUMO

Base teórica: Há evidências suficientes que sustentam a importância da programação metabólica no período perinatal e nos primeiros anos de vida na prevenção ou desenvolvimento de doenças ao longo da vida.

Metodologia: Utilizando como referências principais as palestras proferidas no ESPGHAN 2016, fizemos uma revisão bibliográfica nas bases de dados PubMed, Scielo e Google Scholar, tendo como objetivo principal mostrar a importância dos impactos da microbiota intestinal na saúde do lactente e da criança em curto e longo prazo.

Achados: Documentou-se a existência de um imprinting epigenético fetal através da translocação bacteriana durante a gravidez, que fornece à prole um microbioma pioneiro intra-útero. A presença de componentes da microbiota materna no feto intra-útero é uma importante fonte de maturação do sistema imune fetal levando à indução de tolerância à alérgenos orais e respiratórios, mas pode também resultar em um desfavorável fator epigenético nos casos de obesidade materna.

Conclusão: Está clara e evidente a importância do pediatra no acompanhamento do desenvolvimento da microbiota intestinal da criança desde a vida intrauterina.

Existem várias janelas de oportunidade para intervenção na programação metabólica da criança visando minimizar as repercussões na saúde em curto e longo prazo.

ABSTRACT

Background: There is sufficient evidence to support the importance of programming in the perinatal period and early life in the prevention or development of disease throughout life.

Methods: Using as main references the lectures in ESPGHAN 2016 we made a literature review in the databases PubMed, Scielo and Google Scholar, the main objective is to show the importance of the impacts of the intestinal microbiota in the health of infants and children in the short and long term.

Findings: It is documented from a fetal epigenetic imprinting by bacterial translocation during pregnancy, which provides the offspring one microbiome intrauterine pioneer. The presence of maternal components of the microflora of the fetus in utero is an important fetal immune system development supply leading to the induction of oral tolerance and respiratory allergens, but may also result in an unfavorable epigenetic factor in maternal obesity.

Conclusions: It is clear and evident the importante of pediatricians in monitoring the development of the intestinal microbiota of children from intrauterine life.

There are several windows of opportunity for the child’s programming intervention to minimize the impact on health in the short and long term.