CC BY-NC-ND 4.0 · International Journal of Nutrology 2017; 10(02): 005-015
DOI: 10.1055/s-0040-1705283
ARTIGO ORIGINAL
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Peso materno em gestantes de baixo risco na atenção pré-natal

Maternal weight in low risk pregnant women in prenatal care
José Gilmar Costa Santos
1  Biólogo. Mestre em Biologia Parasitária e acadêmico do Curso de Medicina pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) Aracaju (SE), Brasil
,
Jacqueline Mazzotti Cavalcanti da Silva
1  Biólogo. Mestre em Biologia Parasitária e acadêmico do Curso de Medicina pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) Aracaju (SE), Brasil
,
Ailane Maria Prado Reis Passos
2  Médica graduada pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) - Aracaju (SE), Brasil
,
Bruna Karoline Santos Melo Monteiro
3  Acadêmica do Curso de Medicina da Universidade Federal de Sergipe (UFS) - Aracaju (SE), Brasil
,
Milena Mauricio Maia
3  Acadêmica do Curso de Medicina da Universidade Federal de Sergipe (UFS) - Aracaju (SE), Brasil
,
Rosileide Alves da Silva
3  Acadêmica do Curso de Medicina da Universidade Federal de Sergipe (UFS) - Aracaju (SE), Brasil
,
Jacqueline Mazzotti Cavalcanti da Silva
1  Biólogo. Mestre em Biologia Parasitária e acadêmico do Curso de Medicina pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) Aracaju (SE), Brasil
,
Júlia Maria Gonçalves Dias
4  Médica Ginecologista e Obstetra. Professora PhD de Ginecologia e Obstetrícia do Departamento de Medicina da Universidade Federal de Sergipe (UFS) - Aracaju (SE), Brasil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

11 November 2016

10 February 2017

Publication Date:
17 February 2020 (online)

RESUMO

OBJETIVOS: Avaliar o estado nutricional de gestantes de baixo risco durante o pré-natal, caracterizar o perfil sociodemográfico e quantificar as pacientes com peso inadequado. MÉTODOS: Estudo observacional, prospectivo em gestantes de baixo risco atendidas em postos de saúde de Aracaju, Sergipe, no período de março a junho de 2014. A avaliação seguiu o padrão nutricional preconizado pelo Ministério da Saúde (MS) e foi realizada em três consultas consecutivas, onde o índice de massa corpórea (IMC) foi calculado pelo pesquisador. Dados socioeconômicos e gestacionais das pacientes foram colocados em formulário próprio. Para análise estatística foi utilizado o software EPI-INFO, confeccionadas tabelas de distribuição de frequências e realizados testes de associação de variáveis. RESULTADOS: Foram selecionadas 188 gestantes, destas 150 foram elegíveis. A média de idade foi de 26 anos, com desvio padrão de 6,53. O peso pré-gestacional médio foi de 56,3 kg (± 20,8), os pesos médios na primeira, segunda e terceira avaliações foram 65,17 kg (± 12,8), 67,56 kg (± 12,9) e 69,97 kg (± 12,6), respectivamente. O preenchimento do cartão da gestante estava incompleto em 63% dos casos. No período pré-gestacional, 14% encontravam-se desnutridas e 14% obesas. Foi observada associação significativa entre o IMC identificado nas consultas e a inadequação do IMC prégestacional (p<0,01). CONCLUSÕES: A maioria das gestantes apresentou IMC alterado ao longo das avaliações. O preenchimento de cartão pré-natal se mostrou inadequado, mas não houve associação com o IMC no decorrer da gestação. O fator relacionado com a alteração de IMC gestacional foi o IMC pré-gestacional inadequado.

ABSTRACT

OBJECTIVES: To evaluate the nutritional status of low-risk pregnant women during prenatal, characterize the sociodemographic profile and quantify the patients with inadequate weight. METHODS: Observational, prospective in low-risk pregnant women in Aracaju health centers, Sergipe, from March to June 2014. The evaluation followed the nutritional standards recommended by the Ministry of Health (MOH) and was conducted in three consultations consecutive, where the body mass index (BMI) was calculated by the researcher. Socioeconomic and gestational data of the patients were placed on a special form. Statistical analysis was performed using the EPI-INFO software, made distribution tables of frequencies and performed association testing variables. RESULTS: 188 pregnant women were selected, of these 150 were eligible. The average age was 26 years, with standard deviation of 6.53. The average pre-pregnancy weight was 56.3 kg (± 20.8), average weights in the first, second and third reviews were 65.17 kg (± 12.8), 67.56 kg (± 12.9 ) and 69.97 kg (± 12.6), respectively. The pregnant woman’s card filling was incomplete in 63% of cases. In the pre-pregnancy period, 14% were malnourished and 14% obese. A significant association between BMI identified in the consultations and the inadequacy of pre-pregnancy BMI (p <0.01). CONCLUSIONS: Most of the women had BMI changed during the evaluations. Prenatal card filling proved inadequate, but there was no association with BMI during pregnancy. The factor related to pregnancy BMI change was the pre-pregnancy BMI inappropriate.