CC BY-NC-ND 4.0 · International Journal of Nutrology 2014; 07(01): 005-013
DOI: 10.1055/s-0040-1704012
ARTIGO ORIGINAL
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Gestante e necessidade da vitamina D

L H Basile
1   Medico Ginecologista Obstetra pela Faculdade de Medicina de Sorocaba PUC. Pós graduando no Curso em Nutrologia pela ABRAN 2013
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

30 November 2013

02 February 2014

Publication Date:
17 February 2020 (online)

RESUMO

A vitamina D, lembrada sempre pela sua ação no metabolismo de cálcio e fósforo, tem sido envolvida também no controle e regulação da diferenciação e crescimento celular em vários tecidos, assim como no sistema imune e na gênese tumoral (câncer de cólon, de mama e de próstata). Além disso, receptores deste hormônio podem ser encontrados em quase todos os tecidos do organismo e outras ações não relacionadas ao metabolismo mineral têm sido imputadas a ele. Na atualidade existem muitas pesquisas associando a falta de vitamina D no organismo a algumas doenças (esclerose múltipla, artrite reumatóide, obesidade, síndrome metabólica, diabetes mellitus tipo 1, lúpus eritematoso sistêmico, osteoartrite, doença inflamatória intestinal, doença de Crohn e retocolite ulcerativa). Os problemas vão além da saúde óssea prejudicada - relação já estabelecida, pois o nutriente contribui para a fixação do cálcio nos ossos, sendo a deficiência (< 20 ng/ml) ou insuficiência (20 a 30 ng/ml) associada à osteomalácia, oesteopenia, osteoporose e com maior risco de fraturas ósseas. A deficiência de vitamina D pode ser um fator de risco para o resultado negativo na gravidez, como parto pré-termo, baixo peso ao nascer, restrição do crescimento intra-uterino e diabetes gestacional. Portanto, a prevenção da deficiência de vitamina D em mulheres grávidas é essencial.

ABSTRACT

Vitamin D, when remembered by its action on calcium and phosphorus metabolism, has also been involved in control and regulation of cell growth and differentiation in many tissues, and the immune system and tumor genesis (cancer of the colon, breast, and prostate). Moreover, receptors for this hormone can be found in almost all body tissues and other actions not related to mineral metabolism have been attributed to him. Nowadays there are many studies linking the lack of Vitamin D in the body to some disease (multiple sclerosis, rheumatoid arthritis, obesity, metabolic syndrome, type 1 diabetes mellitus, systemic lupus erythematosus, osteoarthritis, inflammatory bowel disease, Crohn’s disease and ulcerative colitis). The problems go beyond impaired bone health - already established relationship, because the nutrient helps retain calcium in the bones, and deficiency (< 20 ng / ml) or insufficiency (20-30 ng / ml) associated with osteomalacia, oesteopenia, osteoporosis and increased risk of bone fractures). A vitamin D deficiency may be a risk factor for adverse pregnancy outcomes such as preterm birth, low birth weight, restriction of intrauterine growth and gestational diabetes. Therefore, prevention of vitamin D deficiency in pregnant women is essential.