CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2020; 55(05): 620-624
DOI: 10.1055/s-0040-1702957
Artigo Original
Trauma

Aplicação do protocolo Ottawa por estudantes de medicina e residentes de ortopedia em entorses de tornozelo em um hospital de trauma[*]

Article in several languages: português | English
José Marcos Lavrador Filho
1  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Hospital do Trabalhador, Curitiba, PR, Brasil
,
1  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Hospital do Trabalhador, Curitiba, PR, Brasil
,
Alexandre Roberto Roman Coelho
2  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil
,
Daniel Kyubin Cho
2  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil
,
João Luiz Vieira da Silva
2  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil
,
3  Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Clínica de Fraturas e Ortopedia XV, Curitiba, PR, Brasil
› Author Affiliations

Resumo

Objetivo Verificar a aplicabilidade e a concordância das regras do tornozelo de Ottawa aplicadas por estudantes de medicina e residentes de ortopedia em um serviço de trauma terciário, validando assim as regras de Ottawa para utilização em solo brasileiro.

Método Estudo prospectivo, realizado em um hospital terciário, incluindo todos os pacientes com trauma torcional agudo da articulação tibiotársica. Os pacientes realizaram radiografias de tornozelo e/ou pé, tendo sido aplicado o questionário com as regras do tornozelo de Ottawa por acadêmicos e, na sequência, por residentes. As radiografias foram avaliadas por ortopedistas plantonistas e especialista em pé e tornozelo, sendo a opinião do especialista considerada padrão-ouro da análise.

Resultados Foram avaliados 263 pacientes e, após aplicados os critérios de inclusão estabelecidos, restaram para a avaliação 226 casos. A sensibilidade para detectar lesões e o valor preditivo negativo (VPN) foi de 100%. O teste mais sensível e com maior VPN para ambos, acadêmicos e residentes, foi a palpação do maléolo lateral. O estudo apresentou potencial de redução de 30% no total de exames solicitados.

Conclusão Os dados demostraram aplicabilidade e concordância entre acadêmicos e residentes, o que permite a validação do protocolo de Ottawa nos atendimentos de urgência e emergência no Brasil.

* Trabalho desenvolvido no Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital do Trabalhador, Curitiba, PR, Brasil.




Publication History

Received: 13 June 2019

Accepted: 29 November 2019

Publication Date:
22 April 2020 (online)

© 2020. The Author(s). This is an open access article published by Thieme under the terms of the Creative Commons Attribution-NonDerivative-NonCommercial-License, permitting copying and reproduction so long as the original work is given appropriate credit. Contents may not be used for commercial purposes, or adapted, remixed, transformed or built upon. (https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/).

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revinter Publicações Ltda
Rio de Janeiro, Brazil