CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2020; 55(03): 383-385
DOI: 10.1055/s-0039-3402468
Relato de Caso
Ombro e cotovelo
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Osteoartrite global do cotovelo após uma fratura não deslocada da cabeça radial: Relato de caso[]

Article in several languages: português | English
1  Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch, São Paulo, SP, Brasil
,
Bruno Cesar Pereira Brabo
1  Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch, São Paulo, SP, Brasil
2  Hospital Municipal Dr. Carmino Caricchio, São Paulo, SP, Brasil
,
André Luís Marangoni
2  Hospital Municipal Dr. Carmino Caricchio, São Paulo, SP, Brasil
,
Luiz Fabiano Presente Taniguchi
1  Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch, São Paulo, SP, Brasil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

14 August 2019

03 October 2019

Publication Date:
07 February 2020 (online)

Resumo

As fraturas da cabeça radial representam mais de 50% de todas as fraturas do antebraço. Broberg e Morrey (modificação da classificação de Mason) as classificam em quatro tipos. As fraturas do tipo 1 são aquelas não deslocadas ou minimamente deslocadas, consideradas estáveis e sem bloqueio mecânico das articulações. Nesse tipo de fratura, um manejo não operatório com um curto período de imobilização permite bom resultado clínico sem desfechos adversos. Lesões associadas clinicamente relevantes não são comuns. Por esse motivo, a artrite da articulação radiocapitelar e ulnoumeral após a fratura da cabeça do rádio não deslocada é incomum. Este relato de caso apresenta um paciente jovem com diagnóstico de fratura isolada da cabeça radial não deslocada que evoluiu, 8 meses depois, para artrite global do cotovelo.

Trabalho desenvolvido no Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch, São Paulo, SP, Brasil.