CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2020; 55(03): 367-373
DOI: 10.1055/s-0039-3402453
Artigo Original
Tornozelo e pé
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Radiografia axial do antepé com carga - Descrição da técnica e avaliação da reprodutibilidade[*]

Article in several languages: português | English
1  Grupo de Pé e Tornozelo, Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), São Paulo, SP, Brazil
,
Marcos Hideyo Sakaki
1  Grupo de Pé e Tornozelo, Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), São Paulo, SP, Brazil
,
Alexandre Leme Godoy-Santos
1  Grupo de Pé e Tornozelo, Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), São Paulo, SP, Brazil
,
Rafael Trevisan Ortiz
1  Grupo de Pé e Tornozelo, Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), São Paulo, SP, Brazil
,
Rodrigo Sousa Macedo
1  Grupo de Pé e Tornozelo, Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), São Paulo, SP, Brazil
,
Tulio Diniz Fernandes
1  Grupo de Pé e Tornozelo, Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), São Paulo, SP, Brazil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

24 July 2018

05 February 2019

Publication Date:
16 March 2020 (online)

Resumo

Objetivo Este estudo tem como objetivo descrever um novo método radiográfico com carga fisiológica para visualizar as cabeças dos cinco metatarsos no plano coronal.

Métodos Os indivíduos foram radiograficamente avaliados com carga, com o tornozelo a 20° de flexão plantar e as articulações metatarsofalângicas a 10° de extensão, posicionadas em um dispositivo de madeira. As medidas foram aferidas por dois avaliadores independentes, sendo que um deles mediu em dois momentos distintos, obtendo a correlação inter e intraobservador, com o coeficiente de correlação intraclasses.

Resultados Examinamos 63 pés, obtendo um coeficiente de correlação interobservador do método radiográfico para as alturas das cabeças dos metatarsos no plano coronal do 1°, 2°, 3°, 4° e 5° metatarsos de, respectivamente, 0,90, 0,85, 0,86, 0,83, 0,89. O coeficiente de correlação intraobservador foi, respectivamente, 0,95, 0,93, 0,93, 0,86, 0,92.

Conclusão Essas correlações demonstram que o método é preciso e pode ser usado para investigar os desalinhamentos de cabeça dos metatarsos nesse plano.

* Trabalho feito no Grupo de Pé e Tornozelo, Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Hospital das Clinicas HCFMUSP, Faculdade de Medicina, Universidade de Sao Paulo, Sao Paulo, SP, Brazil