CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2020; 55(04): 504
DOI: 10.1055/s-0039-1700826
Cartas ao Editor
Joelho

Letter to the editor: Femoropatellar Radiographic Alterations in Cases of Anterior Cruciate Ligament Failure. Rev Bras Ortop 2015;50(1):43–49

Article in several languages: português | English
Balgovind S. Raja
1  Fortis Escorts Hospital Delhi, Haryana, Índia
,
2  King Edward Memorial Hospital, Mumbai, Maharashtra, India
› Author Affiliations

Caro editor,

Interessamos-nos na leitura de “Alterações Radiográficas Femoropatelares na insuficiência do Ligamento Cruzado Anterior” por de Vasconcelos D. P. et al,[1] publicado no prestigiado periódico “Revista Brasileira de Ortopedia” no ano de 2015. doi:10.1016/j.rboe.2015.01.005. O objetivo do estudo foi avaliar as alterações radiográficas femoropatelares em 30 pacientes com falha do ligamento cruzado anterior (LCA) usando três parâmetros.

Os autores selecionaram para o estudo 30 pacientes voluntários com lesão unilateral isolada do LCA há > 1 ano e os compararam com os joelhos contralaterais normais.[1] A altura da patela foi estudada usando o índice de Caton-Deschamps, enquanto a inclinação e a translação da patela foram avaliadas, respectivamente, pelo ângulo de inclinação lateral e pelo ângulo de congruência. Embora os critérios de inclusão indiquem que foram incluídos joelhos com uma única lesão do LCA, ao longo de todo o texto nenhuma menção foi feita à integridade do ligamento patelofemoral medial. Na verdade, a deficiência do ligamento patelofemoral medial predispõe ao alinhamento patelofemoral anormal.[2] [3] Os critérios de exclusão também deveriam ter incluído a luxação patelar como um dos critérios, pois ela pode influenciar o objetivo do estudo.

Além disso, o estudo emprega o teste t pareado como ferramenta estatística para descobrir a significância das variáveis. Embora o tamanho da amostra usada seja 30, que é o mínimo necessário para o teste t pareado, os autores do texto mencionam que a inversão do ângulo de inclinação lateral pode ser observada em apenas 2 joelhos (- 2,2° e - 4,8°), o que os torna substancialmente outliers na amostra. Outliers em uma amostra tornam improvável a avaliação do teste t pareado, que é feito com base na distribuição normal. O teste Mann-Whitney teria sido uma escolha melhor para esse fim.

Por fim, nenhuma menção ao coeficiente intra- e interobservador foi feita no estudo. O ideal teria sido usar também esses dois parâmetros, o que aumentaria a força do estudo.

Concluindo, a análise estatística do estudo precisa ser verificada e os critérios de exclusão também deveriam incluir joelhos com deficiência do ligamento patelofemoral medial e história de luxação patelar.



Publication History

Received: 22 June 2019

Accepted: 23 July 2019

Publication Date:
19 December 2019 (online)

© 2020. The Author(s). This is an open access article published by Thieme under the terms of the Creative Commons Attribution-NonDerivative-NonCommercial-License, permitting copying and reproduction so long as the original work is given appropriate credit. Contents may not be used for commercial purposes, or adapted, remixed, transformed or built upon. (https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/).

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revinter Publicações Ltda
Rio de Janeiro, Brazil