CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2019; 54(06): 721-730
DOI: 10.1055/s-0039-1700811
Artigo Original
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Ressecção artroscópica do cisto sinovial volar do punho: Técnica cirúrgica e série de casos[*]

Article in several languages: português | English
Ricardo Kaempf de Oliveira
1  Grupo de Cirurgia de Mão, Hospital Mãe de Deus, Porto Alegre, RS, Brasil
2  Grupo de Cirurgia de Mão, Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Porto Alegre, RS, Brasil
,
2  Grupo de Cirurgia de Mão, Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Porto Alegre, RS, Brasil
,
Leohnard Roger Bayer
1  Grupo de Cirurgia de Mão, Hospital Mãe de Deus, Porto Alegre, RS, Brasil
2  Grupo de Cirurgia de Mão, Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Porto Alegre, RS, Brasil
,
Márcio Aita
3  Grupo de Mão, Serviço de Ortopedia e Traumatologia, Faculdade de Medicina do ABC, Santo André, SP, Brasil
,
Gustavo Mantovani
4  Grupo de Mão, Serviço de Ortopedia e Traumatologia, A Beneficência Portuguesa de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil
5  Università degli Studi di Milano, Milão, Itália
,
Pedro José Delgado
6  Unidade de Cirurgia de Mão, Hospital Universitario Madrid Montepríncipe, Universidad CEU San Pablo, Boadilla del Monte, Madri, Espanha
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

15 January 2018

23 October 2018

Publication Date:
13 December 2019 (online)

Resumo

Objetivo Descrever a técnica e os resultados da artroscopia no tratamento cirúrgico dos cistos sinoviais volares no punho.

Materiais e Métodos Foram incluídos e analisados neste trabalho 21 pacientes submetidos a artroscopia para o tratamento de cisto sinovial volar no punho, no período entre janeiro de 2015 e maio de 2017, com avaliação completa e mínima de 6 meses. A técnica descrita foi indicada para os pacientes com dor e incapacidade funcional com duração de mais de quatro meses, sem melhora com o tratamento conservador, ou para aqueles com queixas estéticas e que apresentavam o cisto havia mais de três meses.

Resultados A média de idade dos pacientes foi de 43,6 anos, sendo 16 (76%) do sexo feminino, e 5 (24%) do masculino. O tempo de seguimento médio entre a cirurgia e a avaliação final foi de 10,9 meses. Um total de 2 (9,6%) pacientes apresentaram dor leve e uma restrição da mobilidade no pós-operatório. Nos 18 (90,4%) pacientes restantes, houve melhora das queixas estéticas, recuperação funcional completa, e melhora completa da dor. Não houve recidivas ou infecções. Nenhum paciente necessitou ser submetido a nova cirurgia.

Conclusões A ressecção artroscópica do cisto sinovial volar mostrou-se uma técnica útil e segura. É um procedimento minimamente invasivo, com baixa morbidade e poucas complicações, sendo uma boa alternativa à técnica aberta.