CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2020; 55(05): 585-590
DOI: 10.1055/s-0039-1698799
Artigo Original
Ombro e Cotovelo

Fatores de risco para osteólise do enxerto do coracoide após o procedimento de Latarjet aberto

Article in several languages: português | English
1  Department of Shoulder and Elbow Surgery, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, Ministé da Saúde, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
,
Alexandre Dreifus Zaluski
1  Department of Shoulder and Elbow Surgery, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, Ministé da Saúde, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
,
Glaucio Sales de Lima Siqueira
1  Department of Shoulder and Elbow Surgery, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, Ministé da Saúde, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
,
Marcus Vinicius Galvão Amaral
1  Department of Shoulder and Elbow Surgery, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, Ministé da Saúde, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
,
Martim Teixeira Monteiro
1  Department of Shoulder and Elbow Surgery, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, Ministé da Saúde, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
,
Geraldo Rocha Motta Filho
1  Department of Shoulder and Elbow Surgery, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, Ministé da Saúde, Rio de Janeiro, RJ, Brazil
› Author Affiliations

Resumo

Objetivo Osteólise do processo coracoide é descrita como uma possível complicação da cirurgia de Latarjet. O objetivo do presente estudo foi avaliar a incidência e fatores de risco associados à osteólise do enxerto do coracoide e correlacioná-los com resultados clínicos.

Métodos Foi realizada uma revisão retrospectiva incluindo 38 casos submetidos ao procedimento de Latarjet. Em todos os casos, foi realizada uma tomografia computadorizada antes e pelo menos 1 ano após a cirurgia. A presença de osteólise do coracoide foi avaliada e correlacionada com os seguintes fatores de risco: idade, tabagismo, e perda óssea pré-operatória da glenóide. Os pacientes foram divididos em dois grupos: A (ausência ou menor reabsorção óssea) e B (maior reabsorção óssea ou total). A avaliação funcional foi determinada através do escore de Rowe.

Resultado Osteólise do processo coracoide ocorreu em 22 casos (57,8%). O defeito ósseo médio pré-operatório da glenóide foi de 22,8% no grupo A e de 13,4% no grupo B (p = 0.0075). A média de idade dos casos em ambos os grupos não apresentou diferença estatística. Tabagismo também não esteve relacionado com diferenças no resultado. Não houve correlação entre a presença de osteólise e o arco de movimento, dor ou ao escore de Rowe. Não houve casos de reluxação; entretanto, quatro pacientes apresentaram apreensão anterior no exame físico.

Conclusão A reabsorção do processo coracoide ocorreu em pelo menos 50% dos pacientes submetidos à cirurgia de Latarjet, e a ausência pré-operatória de perda óssea significativa da glenóide foi o único fator de risco associado a osteólise mais severa do enxerto, porém sem influência no resultado clínico.

Observação

Comitê de Revisão Institucional (IRB) – Plataforma Brasil, número CAAE 68193617.8.0000.5273.


Trabalho desenvolvido no Departamento de Cirurgia do Ombro e Cotovelo, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia - Ministério da Saúde (INTO-MS), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.




Publication History

Received: 03 June 2019

Accepted: 23 July 2019

Publication Date:
13 December 2019 (online)

© 2020. The Author(s). This is an open access article published by Thieme under the terms of the Creative Commons Attribution-NonDerivative-NonCommercial-License, permitting copying and reproduction so long as the original work is given appropriate credit. Contents may not be used for commercial purposes, or adapted, remixed, transformed or built upon. (https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/).

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda
Rio de Janeiro, Brazil