CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2019; 54(04): 377-381
DOI: 10.1055/s-0039-1693054
Artigo Original | Original Article
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

A recuperação intraoperatória de células sanguíneas é eficaz em cirurgias de quadril?[*]

Article in several languages: português | English
Nara Granja Nunes
1  Serviço de Anestesiologia, Instituto Dr. José Frota, Fortaleza, CE, Brasil
,
2  Serviço de Ortopedia e Traumatologia, Hospital Infantil Albert Sabin, Hospital Geral de Fortaleza, Fortaleza, CE, Brasil
,
Francisca Magna Prado Bezerra
1  Serviço de Anestesiologia, Instituto Dr. José Frota, Fortaleza, CE, Brasil
,
Velma Dias do Nascimento
3  Serviço de Hemoterapia, Instituto Dr. José Frota, Fortaleza, CE, Brasil
,
Danielle Maia Holanda Dumaresq
1  Serviço de Anestesiologia, Instituto Dr. José Frota, Fortaleza, CE, Brasil
,
Manoel Cláudio Azevedo Patrocinio
1  Serviço de Anestesiologia, Instituto Dr. José Frota, Fortaleza, CE, Brasil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

21 January 2018

06 August 2018

Publication Date:
20 August 2019 (online)

Resumo

Objetivo O estudo visa avaliar a eficácia da recuperação intraoperatória de sangue (RIOS) na redução de hemotransfusão alogênica em pacientes submetidos à cirurgia por fratura de fêmur e quadril.

Métodos Coorte prospectiva com 38 pacientes submetidos a cirurgia traumatológica para fraturas em quadril e transtrocantéricas de fêmur, divididos em dois grupos em um hospital de ensino de agosto de 2015 a fevereiro de 2017. Pacientes com qualquer enfermidade ou condição infecciosa foram excluídos do presente estudo. O grupo RIOS (19 pacientes) recebeu sangue autólogo com a utilização de Cell Saver, enquanto o grupo controle (19 pacientes) recebeu apenas sangue alogênico, quando necessário.. Grupos comparados em relação ao gênero, idade na cirurgia, escala da Sociedade Americana de Anestesiologistas (ASA) (I, II ou III), uso intraoperatório da RIOS, volume sanguíneo reinfundido pela RIOS, parâmetros hematimétricos pré- e pós-operatórios, volume intra e pós-operatório de sangue alogênico transfundido. Dados processados no software SPSS Statistics for Windows, Versão 20.0 (IBM Corp, Armonk, NY, EUA).

Resultados Sem diferenças significativas entre os grupos com as variáveis: idade, gênero e ASA. Percebeu-se que os valores finais de hemoglobina e hematócrito (no 1° dia de pós-operatório) foram mais elevados no grupo que utilizou o dispositivo (p < 0,05). Não houve redução significativa da transfusão alogênica intra e pós-operatória no grupo RIOS em comparação ao controle.

Conclusões O presente estudo constatou que a RIOS não foi eficaz em reduzir a transfusão alogênica no intra e pós-operatório de pacientes submetidos à cirurgia de fêmur transtrocantérica e de quadril.

* Trabalho feito no Instituto Dr. José Frota, Fortaleza, CE, Brasil.