CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2020; 55(03): 374-379
DOI: 10.1055/s-0039-1692695
Artigo Original
Tornozelo e pé
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Uma comparação entre incisões oblíquas e verticais na coleta do tendão dos isquiotibiais na reconstrução do LCA e na lesão do ramo infrapatelar do nervo safeno[*]

Article in several languages: português | English
Sohrab Keyhani
1  Departamento Ortopédico, Shahid Beheshti University of Medical Sciences, Akhtar Hospital, Tehran, Iran
,
Seyyed Morteza Kazemi
1  Departamento Ortopédico, Shahid Beheshti University of Medical Sciences, Akhtar Hospital, Tehran, Iran
,
Mohammadreza Minator Sajjadi
2  Departamento Ortopédico, Shahid Beheshti University of Medical Sciences, Taleghani Hospital, Tehran, Iran
,
1  Departamento Ortopédico, Shahid Beheshti University of Medical Sciences, Akhtar Hospital, Tehran, Iran
3  Departamento Ortopédico, Tabriz University of Medical Sciences, Shohada Hospital, Tabriz, Iran
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

21 March 2019

13 May 2019

Publication Date:
27 August 2019 (online)

Resumo

Objetivo O presente estudo teve como objetivo comparar as incisões oblíquas e verticais na coleta dos tendões dos isquiotibiais na reconstrução do ligamento cruzado anterior (LCA) e na lesão do ramo infrapatelar do nervo safeno.

Métodos O presente estudo foi realizado em um centro de referência terciário por 12 meses. Pacientes com indicação de reconstrução de uma ruptura do LCA foram incluídos no estudo, os quais foram randomizados em dois grupos (vertical [GV] e oblíquo [GO]). Após a exclusão de alguns casos, 92 pacientes foram elegíveis para análise posterior (GV: n= 44; GO: n = 48). Eles foram acompanhados por 9 meses após a cirurgia, e a perda de sensibilidade sobre o joelho e sobre o aspecto proximal da perna operada foi registrado.

Resultados Os comprimentos médios da incisão foram de 27 mm e 38 mm para os grupos GO e GV, respectivamente. A taxa total de hipoestesia foi de 40% (27 pacientes). Um total de 12 (25%) e de 25 pacientes (56,8%) dos grupos GO e GV, respectivamente, relataram sintomas de hipoestesia. A presença de hipoestesia em pacientes no grupo GV foi duas vezes maior do que no grupo GO. Não foi observada correlação estatística entre a lesão do nervo e idade, gênero, escolaridade e demora entre a lesão e a reconstrução.

Conclusão A incisão oblíqua, que apresentou menor risco de lesão nervosa, pode ser mais recomendada para a coleta do enxerto. Pacientes submetidos à reconstrução do LCA no grupo GO tiveram menor incidência de hipoestesia peri-incisional quando comparados aos pacientes do grupo GV.

* Trabalho desenvolvido na Universidade Shahid Beheshti de Ciências Médicas, Hospital Akhtar, Teerã, Irã