CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2019; 54(03): 282-287
DOI: 10.1055/s-0039-1691764
Artigo Original | Original Article
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Hip disability and osteoarthritis outcome score (HOOS): um estudo de validação intercultural da versão na língua portuguesa

Article in several languages: português | English
Rodrigo Kruchelski Machado
1  Hospital Municipal São José/Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Joinville, SC, Brasil
,
André Augusto Casagrande
1  Hospital Municipal São José/Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Joinville, SC, Brasil
,
Gustavo Roberto Pereira
1  Hospital Municipal São José/Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Joinville, SC, Brasil
,
João Ricardo Nickenig Vissoci
2  Departamento de Cirurgia, Divisão de Emergência, Duke University, Durham, NC, Estados Unidos
,
Ricardo Pietrobon
3  University of Maryland, College Park, MD, Estados Unidos
,
4  Departamento de Odontologia, Universidade da Região de Joinville, Joinville, SC, Brasil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

12 March 2018

15 May 2018

Publication Date:
27 June 2019 (online)

Resumo

Objetivo Escalas traduzidas e validadas são de grande importância, pois podem ser utilizadas por pesquisadores que estudam diferentes populações com o mesmo problema. O objetivo do presente estudo foi traduzir, adaptar culturalmente e validar a escala Hip Disability and Osteoarthritis Outcome Score (HOOS) para a língua portuguesa.

Métodos O HOOS foi traduzido do inglês para a língua portuguesa, traduzido de volta para o inglês e submetido a um comitê de especialistas. Foi administrado a 100 pacientes com osteoartrite de quadril. A avaliação psicométrica incluiu a análise fatorial; medidas de confiabilidade interna, confiabilidade de teste-reteste em 7 dias e a comparação de validade de conteúdo com a versão brasileira da Escala de Dor Crônica Graduada (GCPS, na sigla em inglês).

Resultados A análise fatorial demonstrou uma solução de cinco fatores. A confiabilidade de teste-reteste mostrou um alto grau de consistência interna para as 5 subescalas (dor e dificuldades físicas, 0,97 no 1° dia e 0,93 aos 7 dias; dor e dificuldade em sentar, deitar e levantar, 0,93 no 1° dia e 0,89 aos 7 dias; dificuldade em flexionar o joelho, 0,92 no 1° dia e 0,83 aos 7 dias; dificuldade de caminhada, 0,88 no 1° dia e 0,87 aos 7 dias; qualidade de vida, 0,80 no 1° dia e 0,35 aos 7 dias). A validade de conteúdo foi estabelecida durante a comparação da versão brasileira da GCPS.

Conclusões Uma versão brasileira do HOOS foi desenvolvida com confiabilidade e validade adequadas. Isso facilitará a avaliação clínica do quadril em uma grande população de pacientes e entre diferentes culturas.