CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2019; 54(03): 316-321
DOI: 10.1055/s-0039-1691763
Artigo Original | Original Article
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Técnica de mosaicoplastia no tratamento de lesões osteocondrais isoladas do côndilo femoral do joelho – estudo retrospectivo[*]

Article in several languages: português | English
Samir Karmali
1  Departamento Ortopédico, Hospital Vila Franca de Xira, Vila Franca de Xira, Portugal
,
Rui Guerreiro
1  Departamento Ortopédico, Hospital Vila Franca de Xira, Vila Franca de Xira, Portugal
,
Daniel Sá da Costa
1  Departamento Ortopédico, Hospital Vila Franca de Xira, Vila Franca de Xira, Portugal
,
Jorge Fonseca
1  Departamento Ortopédico, Hospital Vila Franca de Xira, Vila Franca de Xira, Portugal
,
2  Departamento Ortopédico, Unidade de Ombro e Cotovelo, Hospital Privado de Gaia, Vila Nova de Gaia, Portugal
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

07 January 2018

28 May 2018

Publication Date:
27 June 2019 (online)

Resumo

Objetivo Lesões osteocondrais focais do joelho são encontradas em dois terços dos pacientes submetidos a artroscopia; seu tratamento, quando isoladas e, principalmente, em indivíduos jovens, ainda é debatido. O presente estudo analisa os resultados obtidos com a aplicação da técnica de mosaicoplastia no tratamento de lesões osteocondrais isoladas do côndilo femoral do joelho.

Métodos Estudo retrospectivo de pacientes submetidos à mosaicoplastia e análise subjetiva com pontuações do International Knee Documentation Committee (IKDC, na sigla em inglês) antes e após a cirurgia.

Resultados Um total de 13 casos, com média de idade de 34 anos; pacientes do sexo masculino (n = 4; 31%) apresentaram média de idade de 23 anos (17–31 anos), e pacientes do sexo feminino (n = 9; 69%) apresentaram média de 39 anos; (16–56 anos); femoral medial ou lateral (n = 11, 85% versus n = 2, 15%, respectivamente); o tamanho médio da lesão foi de 1,8 cm2 (0,6–4 cm); o tempo médio de acompanhamento foi de 5,045 ± 3,47 anos (1,15–11,01 anos). A pontuação IKDC média pré-operatória foi 31,63 pontos ( ±  20,24), e a pós-operatória foi 74,18 pontos ( ±  20,26). A diferença entre as pontuações IKDC obtidas depois e antes da cirurgia foi de 42,55 ( ±  21,05) pontos, com o aumento mínimo de 8,1 pontos e o aumento máximo de 82,8 pontos. Uma diferença estatística significativa (p < 0,001) foi encontrada entre a pontuação IKDC antes e após a cirurgia. Uma relação estatisticamente significativa (p = 0,038) foi observada entre o aumento da pontuação IKDC (a diferença entre a pontuação pré- e pós-operatória) e as dimensões da lesão.

Conclusões A mosaicoplastia com transferência de autoenxerto osteocondral, quando adequadamente usada, pode produzir resultados excelentes com grande durabilidade e impacto funcional, baixas taxas de morbidade e baixos custos. A expansão dos critérios de indicação mostra resultados promissores no médio e longo prazo.

* O presente estudo foi conduzido no Departamento Ortopédico do Hospital Vila Franca de Xira, Portugal.