CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2019; 54(03): 303-308
DOI: 10.1055/s-0039-1691759
Artigo Original | Original Article
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Avaliação clínica e radiológica dos pacientes submetidos a osteossíntese de rádio distal com placas bloqueadas – estudo retrospectivo[*]

Article in several languages: português | English
Jurandyr de Abreu Câmara Filho
1  Serviço Clínico de Ortopedia e Traumatologia, Hospital Naval Marcílio Dias, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
,
Saulo Fontes Almeida
1  Serviço Clínico de Ortopedia e Traumatologia, Hospital Naval Marcílio Dias, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

27 December 2017

28 May 2018

Publication Date:
27 June 2019 (online)

Resumo

Objetivo O objetivo do presente trabalho foi realizar um estudo retrospectivo, com base no arquivo médico dos prontuários e das radiografias dos pacientes, avaliando seus dados socioeconômicos, assim como clinicamente e radiograficamente, os pacientes submetidos a osteossíntese de rádio distal com placas bloqueadas.

Métodos Avaliou-se clinicamente e radiologicamente o pós-operatório, no Serviço da clínica de Ortopedia e Traumatologia do nosso hospital, entre os anos de 2016 e 2017.

Resultados Na avaliação radiográfica, foram encontrados 22 (75,86%) resultados excelentes, 6 (20,69%) bons e 1 (3,45%) regular. Na avaliação clínica, o desvio ulnar obteve média de 28,40, desvio padrão (DP) de 3,0 e coeficiente de variação de 10,56%. O desvio radial obteve média de 22,93, DP de 2,2 e coeficiente de variação de 9,59%. A amplitude de movimento em flexão obteve média de 59,43, DP de 9,86 e coeficiente de variação de 16,59%. Já a extensão obteve média de 53,83, DP de 5,09 e coeficiente de variação de 9,46%.

Conclusão Concluímos que há correlação estatística entre os dados clínicos e radiográficos, e que a placa bloqueada é um método de tratamento com alto índice de sucesso no procedimento cirúrgico das fraturas de rádio distal.

* Trabalho realizado no Hospital Naval Marcílio Dias, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.