CC BY-NC-ND 4.0 · International Journal of Nutrology 2018; 11(S 01): S24-S327
DOI: 10.1055/s-0038-1675025
Trabalhos Científicos
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Síndrome do Intestino Curto e a Má Absorção de Vitaminas

Fabricio Petermann Choueiri Miskulin
1  Universidade São Francisco e Faculdade de Medicina de Jundiai
,
Aline Petermann Choueiri Miskulin
1  Universidade São Francisco e Faculdade de Medicina de Jundiai
,
Pedro Dresch de Michel
1  Universidade São Francisco e Faculdade de Medicina de Jundiai
,
Livia de Brito Barbosa
1  Universidade São Francisco e Faculdade de Medicina de Jundiai
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

Publication Date:
27 September 2018 (online)

 

Introdução: a síndrome do intestino curto é uma condição caracterizada por má-absorção de nutrientes devido a uma ressecção cirúrgica do intestino delgado. os sinais e sintomas incluem diarreia, vômito, perda de peso, desnutrição, desidratação e fadiga.

Objetivo: Compreender a fisiopatologia da má-absorção de vitaminas em pacientes com síndrome do intestino curto.

Metodologia: Foi realizado uma revisão bibliográfica pelo sistema de dados Pubmed com os seguintes descritores: short bowel syndrome e vitamins. Foram selecionados os artigos publicados nos últimos 10 anos e em humanos.

Resultados: Pacientes com ileostomia regularmente sofrem de síndrome do intestino curto associado com perda de absorção de nutrientes e drogas resultando em distúrbios eletrolíticos e insuficiência renal. a adaptação das funções da microbiota com adequado reabsorção de fluidos, nutrientes e vitaminas representam um desafio na reabilitação desses pacientes após cirurgia. as microvilosidades intestinais hipertrofiam-se. Há hipoperistaltismo e aumento do diâmetro do intestino delgado. Pacientes com ileostomia geralmente desenvolvem acidose metabólica com anion gap normal. Estes devem ser testados para deficiência de zinco, selênio e vitaminas lipossolúveis. Pacientes com síndrome do intestino curto têm um risco elevado de desenvolver déficit de vitamina D e doenças metabólicas ósseas devido a baixa exposição a luz ultravioleta, por conta da doença crônica, má absorção e a nutrição parenteral que possui apenas 400 UI de vitamina D. a má absorção leva a diarreia que aumenta o risco de desidratação.

Conclusão: a síndrome do intestino curto é uma desordem que necessita de orientação nutricional, pois é uma síndrome má absortiva. a dosagem de certas vitaminas e minerais faz-se necessária para evitar possíveis complicações para estes pacientes.