CC BY-NC-ND 4.0 · Arquivos Brasileiros de Neurocirurgia: Brazilian Neurosurgery 2018; 37(S 01): S1-S332
DOI: 10.1055/s-0038-1672606
E-Poster – Spine
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Relato de caso: compressão da medula espinhal por cisto hidático em canal vertebral

Victor Willyan de Souza e Castro
1  Universidade Federal de Pelotas
,
Othello Moreira Fabião Neto
1  Universidade Federal de Pelotas
,
Fernando Antônio de Oliveira Costa
2  Universidade Católica de Pelotas
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

Publication Date:
06 September 2018 (online)

 

Apresentação de caso: Paciente do sexo masculino, 48 anos, motorista, natural de Bagé (RS) e relata ter habitado a zona rural durante a infância. A história clínica do paciente conta com seis cirurgias prévias para retirada de cistos hidáticos do pulmão, as quais aconteceram de forma sucessiva ao longo de 15 anos, e uma cirurgia para retirada de cisto na coluna há dois anos. Paciente iniciou com quadro de paraparesia crural de instalação progressiva e nível sensitivo no dermátomo T4. Os exames de imagem evidenciaram lesão osteolítica na terceira e na quarta vértebras torácicas, além de presença de cistos hidáticos no interior dos corpos vertebrais e no canal vertebral. Para a retirada dos cistos, o paciente foi submetido à corpectomia de T4, tendo sido realizada artrodese torácica por via anterior. Após o procedimento, o paciente recuperou a deambulação.

Discussão: A hidatidose é doença parasitária endêmica na região Sul do Brasil cujo agente etiológico é o Echinococcus granulosus. Para o homem, o principal meio de transmissão é o contato direto com fezes de cães contaminados. A sintomatologia da doença está intrinsecamente relacionada com a compressão dos órgãos causada pelos cistos. Como o crescimento deles é lento, a infecção pode permanecer assintomática por um período considerável. Os órgãos mais comumente atingidos são fígado e pulmão, e o envolvimento ósseo é incomum – ocorrendo dm entre 0,5% e 4% dos pacientes, sendo que, destes, apenas em torno da metade dos casos haverá envolvimento espinhal. As manifestações em pacientes com envolvimento da coluna vertebral dependerão das características do cisto (tamanho, condições de sua membrana, localização). As mais comuns, no entanto, são paraparesia e dor lombar. O paciente pode, ainda, apresentar alguma disfunção urinária, diminuição da força nos grupos musculares envolvidos e aumento dos reflexos tendinosos profundos.

Comentários finais: Embora a hidatidose seja uma doença relativamente comum em algumas regiões, o envolvimento ósseo é extremamente raro. Apesar disso, é importante que a hidatidose com comprometimento medular esteja no diagnóstico diferencial de qualquer paciente que se apresente com sintomas de paraparesia, paraplegia e dor na região lombar, especialmente em áreas endêmicas. Mesmo com um risco considerável de recidivas, o tratamento de escolha é o cirúrgico, o qual, em muitos casos, pode ser acompanhado de quimioterapia.