CC-BY-NC-ND 4.0 · Arq Bras Neurocir 2018; 37(01): 54-57
DOI: 10.1055/s-0038-1626729
Case Report | Relato de Caso
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Pilomyxoid Astrocytoma: Case Report

Astrocitoma pilomixoide: relato de caso
Renato Pignatari
Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brazil
,
Manoel Jacobsen Teixeira
Division of Neurological Surgery, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brazil
,
Eberval Gadelha Figueiredo
Division of Neurological Surgery, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brazil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

17 December 2017

05 January 2018

Publication Date:
16 March 2018 (eFirst)

Abstract

The pilomyxoid astrocytoma (PMA) is a rare glioma recently described as a separate entity, which is generally located on the hypothalamic area. The PMA was previously described as pilocytic astrocytoma (PA) due to similarities shared between them. Recent studies provided a deeper understanding of PMA, setting it as a separate entity, though PMA is still considered by many authors a variant of PA. The PMA is considered to be more aggressive than PA; however, further studies are necessary for a better comprehension of its behavior and, hence, for neurosurgeons and neurologists to get to a consensus about its management.

This study presents a 16-year-old female patient who looked for medical assistance complaining of headaches of over 6 months and vomiting for 2 weeks prior to the visit to the doctor. She presented no other symptoms. The physical examination displayed only bilateral papilledema. The magnetic resonance imaging (MRI) scans showed an intraventricular and thalamic lesion composed of solid and cystic material associated with peritumoral edema. The patient underwent ventriculoperitoneal shunt and subtotal resection of the lesion. The histological and immunohistochemical studies showed typical features of PMA. The patient started adjuvant therapy with chemotherapy and radiosurgery. She has been asymptomatic for 9 months and has shown no signs of progression of the disease on the follow-up scans.

Resumo

O astrocitoma pilomixoide (APM) é um raro glioma, recentemente descrito como uma entidade separada, que geralmente se localiza na região hipotalâmica. Anteriormente, o APM era descrito como astrocitoma pilocítico (AP) devido a características semelhantes que ambos apresentam. Estudos recentes permitiram um melhor entendimento do APM, configurando-o como uma entidade separada, embora o APM ainda seja considerado por muitos autores uma variante do AP. O APM é considerado mais agressivo que o AP; no entanto, mais estudos são necessários para um melhor entendimento do comportamento do tumor e, consequentemente, para que neurocirurgiões e neurologistas cheguem a um consenso sobre sua terapêutica.

Este estudo apresenta uma paciente de 16 anos que procurou atendimento médico com queixas de dores de cabeça por mais de 6 meses e vômitos nas 2 semanas antecedentes à visita ao médico. Outros sintomas não eram apresentados. O exame físico revelou apenas papiledema bilateral. As imagens de ressonância magnética mostraram uma lesão intraventricular e hipotalâmica de componentes sólido e cístico associados a edema peritumoral. A paciente foi submetida a derivação ventriculoperitoneal e a ressecção subtotal da lesão. Os estudos histológico e imunohistoquímico demonstraram características típicas de APM. A paciente iniciou terapia adjuvante com quimioterapia e radiocirurgia. A paciente está em acompanhamento por 9 meses e, até o momento, manteve-se assintomática e não houve sinais de progressão da doença nos exames de imagem.