CC BY-NC-ND 4.0 · Arquivos Brasileiros de Neurocirurgia: Brazilian Neurosurgery 2003; 22(01/02): 39-41
DOI: 10.1055/s-0038-1625096
Artigos Originais
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Em hidrocefalia aguda e hematoma extradural da fossa posterior na infância é necessária a derivação?: Relato de caso

Acute hydrocephalus with posterior fossa extradural hematoma in infancy. Is the shunting necessary? Case report
Carlos Umberto Pereira
,
Alvino Dutra da Silva
Further Information

Publication History

Publication Date:
11 January 2018 (online)

Resumo

O hematoma extradural traumático da fossa posterior na infância pode cursar com hidrocefalia obstrutiva aguda. Em casos de diagnóstico precoce, dependendo dos achados tomográficos e das condições neurológicas do paciente, a simples drenagem do hematoma pode solucionar o caso, não havendo necessidade de instalação de derivação ventricular peritoneal ou externa para tratar a hidrocefalia concomitante.

Os autores apresentam um caso na infância de hematoma extradural agudo da fossa posterior com extensão supratentorial, associado à hidrocefalia obstrutiva aguda. A criança foi submetida à craniectomia occipital unilateral, com resultado excelente. A tomografia pós-operatória demonstrou a regressão da hidrocefalia. Não houve necessidade de derivação ventricular.

Abstract

Pediatric traumatic epidural hematoma of posterior fossa may cause acute ventricular obstruction. Early diagnosis and evacuation of the hematoma may preclude the need of external or internal ventricular shunting.

We report a case of epidural hematoma of posterior fossa with supratentorial extension and hydrocephalus in a 5 year-old child. The treatment consisted in a unilateral occipital craniectomy with excellent outcome. The postoperative CT confirmed the resolution of the hydrocephalus without ventricular shunting.

*Professor Adjunto Doutor do Departamento de Medicina da UFS.


**Neurocirurgião do Serviço de Neurocirurgia do Hospital João Alves Filho de Aracaju.