CC-BY-NC-ND 4.0 · Arq Bras Neurocir 2017; 36(04): 264-268
DOI: 10.1055/s-0037-1612621
Technical Note | Nota Técnica
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Treatment of Intradural Spinal Arteriovenous Fistula: Technical Case Report

Tratamento de fístula arteriovenosa espinhal intradural: relato de caso técnico
Helbert de Oliveira Manduca Palmiero
1  Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, São Paulo, Brazil
,
Ricardo Lourenço Caramanti
1  Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, São Paulo, Brazil
,
Feres Eduardo Aparecido Chaddad-Neto
1  Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), São Paulo, São Paulo, Brazil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

18 August 2017

17 October 2017

Publication Date:
07 December 2017 (eFirst)

Abstract

Introduction Although rare, arteriovenous fistula (AVF) is the most common vascular malformation of the spine, and it is mainly located in the thoracic region. The fistula is identified by arteriography, which enables the treatment by embolization or guides the microsurgical therapy.

Clinical Presentation We describe the case of a 61-year-old woman with neurogenic claudication evolving to paraparesis. A dorsal intradural AVF was identified by magnetic resonance imaging (MRI) and arteriography, and it was submitted to an embolization, but the procedure was unsuccessful. The patient was then referred for neurosurgery, and the AVF was obliterated using a microsurgical technique guided by multimodal intraoperative monitoring. We identified the AVF in the intraoperative moment and we then cut and coagulated the extradural portion of the nerve root.

Discussion Arteriovenous fistulas occur in the dura mater of the nerve roots with the arterialization of the venous plexus. The treatment prevents the progression of the deficits. While performing diagnostic arteriography, attempts of embolization are possible.

Conclusion Although the initial attempt of embolization at the moment of the diagnostic arteriography is achievable, it has failure rates of 50%, unlike the surgical treatment, which is definitive in all cases, as reported in this article.

Resumo

Introdução Apesar de raras, as fístulas arteriovenosas (FAV) são as malformações vasculares mais comuns na coluna, localizadas essencialmente na região torácica. A fístula é identificada por arteriografia, a qual permite o tratamento da embolização ou guia a terapia microcirúrgica.

Apresentação Clínica Descrevemos o caso de uma mulher de 61 anos com claudicação neurogênica evoluindo para paraparesia. Uma FAV intradural dorsal foi identificada por meio de ressonância magnética (RM) e arteriografia, e foi submetida a uma embolização, mas o procedimento não obteve sucesso. A paciente foi então encaminhada para tratamento neurocirúrgico, e a FAV foi eliminada por técnica microcirúrgica guiada por monitoração multimodal intraoperatória. Identificamos a FAV durante o período intraoperatório, e em seguida cortamos e coagulamos a porção extradural da raiz do nervo.

Discussão As AVFs ocorrem na dura-máter das raízes neurais com a arterialização do plexo venoso. O tratamento evita o progresso de déficits. Durante a arteriografia diagnóstica, tentativas de embolização são possíveis.

Conclusão Apesar de a tentativa inicial de embolização durante a arteriografia ser possível, ela tem probabilidades de 50% de sucesso, enquanto o tratamento cirúrgico é definitivo em todos os casos, como relatado neste artigo.