CC-BY-NC-ND 4.0 · Arq Bras Neurocir
DOI: 10.1055/s-0037-1603579
Review Article | Artigo de Revisão
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Landmarks para a localização do núcleo subtalâmico por ressonância magnética

Landmarks for the Localization of the Subthalamic Nucleus Using Magnetic Resonance ImagingLuiza Louza Normanha1, Jéssica Rodrigues Borges Leão1, Ledismar José da Silva2
  • 1Graduanda em Medicina, Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), Goiânia, GO, Brasil
  • 2Neurocirurgião, Professor da PUC Goiás, Goiânia, GO, Brasil
Further Information

Publication History

01 February 2017

02 May 2017

Publication Date:
31 May 2017 (eFirst)

Resumo

A estimulação cerebral profunda surgiu como opção terapêutica para a doença de Parkinson avançada na década de 1990, mas os primeiros relatos são do grupo de Benabid, neurocirurgião francês, na década de 1980. O núcleo subtalâmico (NST), mais especificamente sua porção dorsolateral, é o alvo mais comumente abordado. Um dos fatores primordiais para o bom resultado cirúrgico é a acurada localização desse alvo. Assim, este artigo teve como objetivo identificar landmarks que facilitem e refinem a localização do NST por ressonância nuclear magnética (RNM) de crânio. Para isso, foi realizada busca de artigos nas bases de dados PubMed e Science Direct, incluindo-se estudos sobre o uso da RNM de crânio para localização do NST. A localização precisa da porção dorsolateral do NST é de fundamental importância para se atingir a melhor resposta clínica sobre os sintomas motores da doença e minimizar os efeitos colaterais. A RNM de crânio é uma das modalidades localizatórias mais utilizadas, podendo ser associada ou não à tomografia de crânio ou à ventriculografia. As estratégias de localização podem ser classificadas em direta e indireta. Os landmarks estão entre as estratégias indiretas de visualização e os principais (núcleo rubro, sinal de Sukeroku, sinal do entalhe da cápsula interna, comissura supramamilar, trato mamilo talâmico e cisterna interpeduncular) são descritos neste artigo. Os diversos landmarks podem ser utilizados de forma integrada para obter localização mais refinada da porção dorsolateral do NST e o posicionamento ideal dos eletrodos para atingir melhor resposta clínica.

Abstract

Deep brain stimulation has become an option for the treatment of advanced Parkinson's disease since the 1990s, but the first reports are from Benabid's team, a French neurosurgeon, in the 1980s. The subthalamic nucleus (STN), more specifically its dorsolateral portion, is the most commonly stimulated brain area. One of the major aspects for a good surgical result is the accurate localization of this target. Therefore, this article aimed to identify landmarks that facilitate and refine the localization of STN using head magnetic resonance imaging (MRI). To achieve this goal, a research of articles was performed using the online databases PubMed and Science Direct, and those regarding MRI for targeting STN were included. The precise localization of the dorsolateral portion of the STN is fundamental to achieve the best possible effect on motor symptoms and to minimize the side effects. One of the most used localization methods is MRI, associated or not with tomography or ventriculography. Localization strategies can be classified into direct and indirect. Landmarks are among the indirect strategies, and the most important ones (red nucleus, Sukeroku sign, dent internal-capsule sign, supramammillary commissure, mammillothalamic tract, and interpeduncular cistern) are described in this article. The various landmarks can be combined to locate, in a more refined way, the dorsolateral portion of the STN and the ideal positioning of the electrodes to achieve the best possible clinical result.