CC-BY-NC-ND 4.0 · Arq Bras Neurocir
DOI: 10.1055/s-0037-1602809
Original Article | Artigo Original
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Transferência ulnar-musculocutâneo nas lesões de plexo braquial: estudo de 78 casos quanto a possíveis complicações pós-operatórias

Brachial Plexus Injuries with Ulnar–Musculocutaneous Transfer: 78 Cases Study Focused on Possible Postoperative ComplicationsMárcio Gargalhone Corrêa1, Márcio de Mendonça Cardoso1, Ricardo de Amoreira Gepp1, Marco Rolando Sainz Quiroga1, Paulo Sérgio Siebra Beraldo1
  • 1Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação, Cruzeiro, DF, Brazil
Further Information

Publication History

01 June 2016

12 April 2017

Publication Date:
12 May 2017 (eFirst)

Resumo

Objetivo Analisar 78 casos de lesão de plexo braquial operados, submetidos à técnica de Oberlin entre 2003 e 2012. Possíveis complicações desta técnica foram analisadas, sobretudo possíveis prejuízos motores ou hipoestesia na mão.

Método Foi realizada análise retrospectiva de prontuários de pacientes com lesões do plexo braquial com níveis de lesão C5-C6 e C5-C6-C7. Foram analisados casos que haviam sido submetidos ao procedimento de Oberlin associado ou não a outros procedimentos concomitantes do plexo braquial entre 2003 e 2012. O seguimento pós-operatório mínimo foi de 1 ano. Além do exame clínico, foram usados para o diagnóstico e localização da lesão nervosa a eletroneuromiografia e a ressonância nuclear magnética de plexo braquial.

Resultados Foram obtidos 78 casos operados que preenchiam os critérios de inclusão. Alterações neurológicas pós-operatórias foram observadas em 18 pacientes, sendo, em sua grande maioria, transitórias. Hipoestesia na face ulnar da mão foi observada em sete casos; dores neuropáticas, em cinco; alodinia, em quatro; e perda motora na mão, em dois casos.

Conclusão Considerando os resultados da nossa casuística, concluímos que as sequelas no território do nervo doador são poucas diante do benefício que a técnica de Oberlin pode trazer à recuperação da flexão do cotovelo nas lesões do plexo braquial.

Abstract

Objective To analyze 78 cases of brachial plexus injury operated undergoing Oberlin technique between 2003 and 2012. This study looked at as the possible complications of this technique, especially possible engine damage or hypoesthesia in hand.

Method A retrospective analysis of medical records of patients with brachial plexus injuries with injury levels C5-C6 and C5-C6-C7 was performed. Cases were analyzed which had been submitted to Oberlin procedure with or without the concomitant procedures brachial plexus between 2003 and 2012. The minimum follow-up period was one year. In addition to the clinical examination, they were used for the diagnosis and localization of nerve damage electromyography and magnetic resonance imaging of the brachial plexus.

Results We obtained 78 patients operated and met the inclusion criteria. Postoperative neurological changes were observed in 18 patients, and for the most part, transient. Hypoesthesia in the ulnar side of the hand was observed in 7 cases; neuropathic pain in 5 cases; allodynia in 4 cases and motor loss in the hand in 2 cases.

Conclusion The results of our study, we conclude that the sequelae in the donor nerve territory are few on the benefit that Oberlin technique can bring in relation to the recovery of elbow flexion in brachial plexus injuries.