CC BY-NC-ND 4.0 · Arquivos Brasileiros de Neurocirurgia: Brazilian Neurosurgery 2020; 39(01): 005-011
DOI: 10.1055/s-0037-1602169
Review Article | Artigo de Revisão
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Meningioma do quarto ventrículo: relato de caso e revisão da literatura

Article in several languages: English | português
Allan Dias Polverini
1  Department of Neurosurgery, Hospital de Amor, Barretos, SP, Brazil
,
1  Department of Neurosurgery, Hospital de Amor, Barretos, SP, Brazil
,
Guilherme Fonseca Bortoluzzi
1  Department of Neurosurgery, Hospital de Amor, Barretos, SP, Brazil
,
Ismael Augusto Silva Lombardi
1  Department of Neurosurgery, Hospital de Amor, Barretos, SP, Brazil
,
Giusepe Picone Junior
1  Department of Neurosurgery, Hospital de Amor, Barretos, SP, Brazil
,
Carlos Roberto de Almeida Junior
1  Department of Neurosurgery, Hospital de Amor, Barretos, SP, Brazil
,
Carlos Afonso Clara
1  Department of Neurosurgery, Hospital de Amor, Barretos, SP, Brazil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

30 December 2016

16 March 2017

Publication Date:
17 April 2017 (online)

  

Resumo

Meningiomas estão entre as mais comuns neoplasias do sistema nervoso central, com incidência que pode variar entre 15 e 40% dos tumores intracranianos. Destes, apenas 0,5 a 3% são intraventriculares, dos quais os mais raros são os de quarto ventrículo.

Os meningiomas do ventrículo IV se originam, geralmente, do plexo coroide e não possuem aderências durais. Na maioria das vezes, manifestam-se em pacientes jovens, em torno dos 41 anos, com possível predominância no sexo feminino, através de síndrome de hipertensão intracraniana e cerebelar. O tratamento consiste em ressecção cirúrgica, que, comumente, apresenta bons resultados devido às características tumorais. Por isso, para um melhor planejamento pré-operatório, faz-se importante a diferenciação radiológica entre os tumores mais frequentes nessa região.

Os subtipos histológicos mais comuns são fibroblástico e meningotelial, ambos de grau I da Organização Mundial da Saúde (OMS), embora existam relatos de tumores de grau II e III.

Relatamos um caso de meningioma do ventrículo IV operado em nossa instituição e realizamos revisão da literatura, através da qual verificamos que foram relatados 57 casos até o momento, sendo o primeiro de 1938.