CC BY-NC-ND 4.0 · Arquivos Brasileiros de Neurocirurgia: Brazilian Neurosurgery 2018; 37(03): 167-173
DOI: 10.1055/s-0036-1584685
Original Article | Artigo Original
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Neurocirurgia endovascular na macrorregião norte do Rio Grande do Sul: parte I

Article in several languages: English | português
José Ricardo Vanzin
1  Interventional Neuroradiology Service of Passo Fundo, Passo Fundo, RS, Brazil
,
Nério Dutra Azambuja Jr
1  Interventional Neuroradiology Service of Passo Fundo, Passo Fundo, RS, Brazil
,
Leonardo Frighetto
1  Interventional Neuroradiology Service of Passo Fundo, Passo Fundo, RS, Brazil
,
Alan Christmann Frohlich
1  Interventional Neuroradiology Service of Passo Fundo, Passo Fundo, RS, Brazil
,
Daniel Lima Varela
1  Interventional Neuroradiology Service of Passo Fundo, Passo Fundo, RS, Brazil
,
Paulo Mesquita Filho
1  Interventional Neuroradiology Service of Passo Fundo, Passo Fundo, RS, Brazil
,
Alex Roman
1  Interventional Neuroradiology Service of Passo Fundo, Passo Fundo, RS, Brazil
,
Luciano Bambini Manzato
1  Interventional Neuroradiology Service of Passo Fundo, Passo Fundo, RS, Brazil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

01 March 2016

10 March 2016

Publication Date:
25 October 2016 (online)

  

Resumo

Introdução A cidade de Passo Fundo, localizada no norte do RS, se destaca na área de saúde há muitos anos. A neurocirurgia endovascular se tornou referência para o interior do estado. Abordaremos a experiência de 10 anos nesta área e a dividiremos em angiografias cerebrais (Parte I), angioplastias de carótida (Parte II) e aneurismas intracranianos (Parte III). O objetivo da Parte I é avaliar estatisticamente as angiografias cerebrais, suas indicações, riscos e complicações, assim como a revisão da técnica.

Materiais e Métodos Estudo retrospectivo de 2005 a 2015, com total de 5.567 procedimentos neurorradiológicos realizados. São 4.114 angiografias, 639 embolizações de aneurismas intracranianos, 414 angioplastias de carótida, 143 embolizações de malformações arteriovenosas (MAV) cerebrais, 32 embolizações de fístulas arteriovenosas durais, 102 tratamentos de vasoespasmo cerebral, 21 tratamentos de epistaxe, 36 embolizações de tumores craniocervicais, 25 trombólises de acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico, 18 vertebroplastias e 13 embolizações de malformações arteriovenosas de face.

Resultados Um total de 4.084 procedimentos realizados, 21.811 vasos estudados, média de 7,62 vasos por paciente e 2,82 vasos por procedimento. Destes, foram 2.536 procedimentos diagnósticos e 1.548 controles angiográficos. Do total, 1.188 pacientes fizeram apenas uma angiografia, e 27,14% foram procedimentos terapêuticos. Obtivemos um total de complicações de 3,89%: 2,33%, reflexo vasovagal; 0,56%, reação alérgica cutânea; 0,07%, choque anafilático; 0,27%, hematoma femoral; 0,26%, déficit neurológico transitório; e 0,12%, déficit neurológico definitivo. Não houve caso de óbito.

Conclusão A angiografia cerebral em adultos, crianças e lactentes é um procedimento seguro, com baixo risco de complicações neurológicas permanentes.