CC BY-NC-ND 4.0 · Arquivos Brasileiros de Neurocirurgia: Brazilian Neurosurgery 2018; 37(03): 231-234
DOI: 10.1055/s-0036-1572505
Case Report | Relato de Caso
Thieme Revinter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Craniectomia descompressiva para encefalite viral: relato de dois casos

Article in several languages: English | português
Ricardo Lourenço Caramanti
1  Neurosurgery Service, Hospital Austa, São José do Rio Preto, SP, Brazil
,
Eduardo Cintra Abib
1  Neurosurgery Service, Hospital Austa, São José do Rio Preto, SP, Brazil
,
Dionei Freitas de Moraes
2  Department of Neurosurgery, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto, SP, Brazil
,
Eduardo Carlos da Silva
2  Department of Neurosurgery, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto, SP, Brazil
,
Carlos Eduardo D'Aglio Rocha
2  Department of Neurosurgery, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto, SP, Brazil
,
Fabiano Morais Nogueira
2  Department of Neurosurgery, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto, SP, Brazil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

29 September 2015

23 November 2015

Publication Date:
16 February 2016 (online)

  

Resumo

A craniectomia descompressiva é uma modalidade terapêutica de rara utilização em casos de hipertensão intracraniana refratária por encefalite viral. Neste artigo os autores apresentam dois casos de pacientes com encefalite viral que foram submetidos à descompressão para controle da pressão intracraniana. Ambos apresentavam Glasgow outcome score de 4.

Os principais dados clínicos para a decisão cirúrgica são o Glasgow e as pupilas do paciente associados à imagem com grande área necrótica e edema perilesional.

A evolução dos pacientes submetidos à descompressão mostrou-se satisfatória em 92,3% dos casos.