CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2019; 54(02): 210-213
DOI: 10.1016/j.rboe.2017.11.001
Case Report | Relato de Caso
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Discrepância de membros em menino de 11 meses de idade associada a osteoma osteoide[*]

Article in several languages: português | English
Ana Cotta
1  Departamento de Patologia, Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação, Belo Horizonte, MG, Brasil
,
Renato Cesar Rezende de Castro
2  Departamento de Cirurgia e Ortopedia, Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação, Belo Horizonte, MG, Brasil
,
Julia Filardi Paim
1  Departamento de Patologia, Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação, Belo Horizonte, MG, Brasil
,
Leonardo Sardenberg Fiuza
2  Departamento de Cirurgia e Ortopedia, Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação, Belo Horizonte, MG, Brasil
,
Maria Henriqueta Freire Lyra
3  Departamento de Radiologia, Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação, Belo Horizonte, MG, Brasil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

21 July 2017

27 July 2017

Publication Date:
22 April 2019 (online)

Resumo

Osteoma osteoide é um tumor ósseo benigno, mais frequente dos 10 aos 25 anos de idade e, em cerca de 80% dos pacientes, está associado a dor forte. O presente artigo descreve um paciente masculino apresentando claudicação, encurtamento do membro inferior direito e aumento de volume indolor da perna direita desde os 11 meses de idade. Os exames de imagem demonstraram lesão osteolítica contendo pequenas ossificações de permeio, envolvidas por espessamento cortical da diáfise da tíbia direita. As hipóteses diagnósticas de osteoma osteoide, de osteomielite crônica (abscesso de Brodie), de sarcoma de Ewing e de histiocitose de células de Langerhans foram levantadas. As culturas para microrganismos foram negativas e o exame histopatológico demonstrou osteoma osteoide. O presente relato expande o conhecimento sobre osteoma osteoide como causa de claudicação e discrepância de membros inferiores indolor em lactente. O diagnóstico diferencial precoce é importante, pois a exérese da lesão é curativa e previne sequelas futuras.

* Estudo conduzido na Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação, Belo Horizonte, MG, Brasil.