CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2019; 54(01): 053-059
DOI: 10.1016/j.rboe.2017.09.007
Original Article | Artigo Original
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

“Joelho flutuante,” uma lesão incomum: análise de 12 casos[*]

Article in several languages: português | English
Vishal Yadav
1  Departmento de Ortopedia, P.D. Hinduja National Hospital, Mumbai, Maharashtra, India
,
Harpreet Singh Suri
1  Departmento de Ortopedia, P.D. Hinduja National Hospital, Mumbai, Maharashtra, India
,
Mayank Vijayvargiya
1  Departmento de Ortopedia, P.D. Hinduja National Hospital, Mumbai, Maharashtra, India
,
Vikas Agashe
1  Departmento de Ortopedia, P.D. Hinduja National Hospital, Mumbai, Maharashtra, India
,
1  Departmento de Ortopedia, P.D. Hinduja National Hospital, Mumbai, Maharashtra, India
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

24 July 2017

05 September 2017

Publication Date:
01 March 2019 (online)

Resumo

Objetivo

As lesões do tipo joelho flutuante (FKIs, na sigla em inglês) são complexas e são geralmente causadas por trauma de alta velocidade. Estas lesões são frequentemente associadas a lesões que causam risco de morte, que devem ter precedente sobre lesões nas extremidades. Os autores revisaram os resultados das lesões do tipo joelho flutuante tratadas nesta instituição entre 2003 e 2015.

Método

Foi realizado um estudo retrospectivo de todos os pacientes com FKIs de 2003 a 2015. Doze pacientes foram incluídos no estudo. Os dados relacionados ao tipo de fratura, lesões associadas, modalidades de tratamento e complicações foram observados. A avaliação funcional foi realizada utilizando os critérios de Karlstrom modificados após a união óssea completa.

Resultados

O mecanismo de lesão foi acidente automobilístico em todos os pacientes. O acompanhamento médio foi de 4 anos. A média de idade dos pacientes foi de 34,75 anos. O tempo médio de união óssea foi de 6,5 meses nos fêmures e de 6,7 meses nas tíbias. As complicações foram rigidez do joelho, união óssea tardia e infecção. De acordo com os critérios modificados de Karlstrom, três resultados foram considerados excelentes, cinco bons, três razoáveis e um resultado foi considerado ruim.

Conclusão

Lesões do tipo joelho flutuante são graves e são geralmente associadas a lesões de vários órgãos. A detecção precoce e o tratamento adequado das lesões associadas, a afixação precoce das fraturas e a reabilitação pós-operatória são necessários para um bom resultado. As complicações são frequentes, sob a forma de união óssea tardia, rigidez do joelho e infecção.

* Estudo conduzido em Department of Orthopedics, P.D. Hinduja National Hospital, Mumbai, Índia.