CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2019; 54(02): 128-133
DOI: 10.1016/j.rbo.2017.12.016
Original Article | Artigo Original
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Reconstrução de membro inferior – retalho fasciocutâneo sural[*]

Article in several languages: português | English
Antonio Lourenco Severo
1  Hospital São Vicente de Paulo (HSVP-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
2  Instituto de Ortopedia e Traumatologia de Passo Fundo (IOT-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
,
Eduardo Felipe Mandarino Coppi
1  Hospital São Vicente de Paulo (HSVP-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
2  Instituto de Ortopedia e Traumatologia de Passo Fundo (IOT-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
,
Haiana Lopes Cavalheiro
1  Hospital São Vicente de Paulo (HSVP-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
2  Instituto de Ortopedia e Traumatologia de Passo Fundo (IOT-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
,
Alexandre Luiz Dal Bosco
1  Hospital São Vicente de Paulo (HSVP-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
2  Instituto de Ortopedia e Traumatologia de Passo Fundo (IOT-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
,
Danilo Barreto Filho
1  Hospital São Vicente de Paulo (HSVP-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
2  Instituto de Ortopedia e Traumatologia de Passo Fundo (IOT-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
,
Marcelo Barreto Lemos
1  Hospital São Vicente de Paulo (HSVP-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
2  Instituto de Ortopedia e Traumatologia de Passo Fundo (IOT-RS), Passo Fundo, RS, Brasil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

26 September 2017

14 December 2017

Publication Date:
10 May 2019 (online)

Resumo

Objetivo Avaliar o uso do retalho fasciocutâneo sural de fluxo reverso na cobertura de lesões no terço distal dos membros inferiores.

Métodos Foram analisados 24 casos, 20 de origem traumática, três por lesões esportivas e um por ressecção de lesão tumoral.

Resultados Dos 24 prontuários avaliados, 16 eram homens e oito mulheres. A idade variou de seis a 75 anos. A maioria dos pacientes evoluiu com cicatrização total do retalho (21). Houve apenas um caso de necrose total do retalho em paciente diabético insulinodependente e hipertenso, evoluiu para posterior amputação do membro. Em dois casos, houve necrose parcial com posterior cicatrização por segunda intenção, um desses pacientes era tabagista pesado. As complicações foram associadas às comorbidades e, ao contrário do evidenciado por outros estudos, não houve correlação com a curva de aprendizado. Também não houve correlação com o local ou o tamanho da lesão a ser coberta.

Conclusão Tem-se como relevância clinica que a técnica de retalho fasciocutâneo sural de fluxo reverso usada obteve 87,5% de sucesso, é uma opção viável e eficaz no arsenal terapêutico das lesões complexas dos membros inferiores.

* Trabalho desenvolvido no Hospital São Vicente de Paulo, Passo Fundo, RS, Brasil. Publicado originalmente por Elsevier Ltda.