CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2019; 54(02): 171-177
DOI: 10.1016/j.rbo.2017.11.003
Original Article | Artigo Original
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Avaliação da reprodutibilidade da classificação de Dejour para instabilidade femoropatelar[*]

Article in several languages: português | English
Rodrigo de Souza Mendes Santiago Mousinho
1  Instituto de Traumatologia e Ortopedia Romeu Krause (Itork), Recife, PE, Brasil
,
José Neias Araújo Ribeiro
2  Universidade Federal do Ceará, Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Fortaleza, CE, Brasil
,
Francisco Kartney Sarmento Pedrosa
1  Instituto de Traumatologia e Ortopedia Romeu Krause (Itork), Recife, PE, Brasil
,
Diego Ariel de Lima
1  Instituto de Traumatologia e Ortopedia Romeu Krause (Itork), Recife, PE, Brasil
2  Universidade Federal do Ceará, Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Fortaleza, CE, Brasil
3  Centro Universitário Christus (Unichristus), Fortaleza, CE, Brasil
4  Universidade Federal Rural do Semiárido, Mossoró, RN, Brasil
,
Romeu Krause Gonçalves
1  Instituto de Traumatologia e Ortopedia Romeu Krause (Itork), Recife, PE, Brasil
,
José Alberto Dias Leite
2  Universidade Federal do Ceará, Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Fortaleza, CE, Brasil
3  Centro Universitário Christus (Unichristus), Fortaleza, CE, Brasil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

14 September 2017

21 November 2017

Publication Date:
10 May 2019 (online)

Resumo

Objetivo Avaliar, pela reprodutibilidade interobservador e intraobservador, a classificação proposta por David Dejour para descrever a displasia troclear do joelho.

Métodos Foram estudados dez pacientes com diagnóstico de displasia troclear. Três médicos membros da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho foram convidados para avaliar as imagens. Análises intra- e interobservador foram feitas com intervalo de uma semana. A reprodutibilidade foi avaliada em quatro cenários: uso de radiografia; uso de radiografia e tomografia; uso de radiografia, consultando-se a classificação no momento; e uso de radiografia e tomografia, consultando-se a classificação no momento.

Resultados A avaliação intraobservador apresentou resultados discordantes. Na análise interobservador, o grau de concordância foi baixo para as análises que usavam apenas a radiografia e excelente para aquelas que associavam radiografia e tomografia.

Conclusão A classificação de Dejour apresentou uma baixa reprodutibilidade intra e interobservador quando usada somente a radiografia em perfil. Demonstrou-se que o uso apenas da radiografia para classificar pode gerar falta de uniformidade até mesmo entre observadores experientes. Contudo, quando radiografia e tomografia foram associadas, a reprodutibilidade melhorou.

* Trabalho desenvolvido no Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Centro Universitário Christus (Unichristus), Fortaleza, CE, Brasil. Originalmente publicado por Elsevier Ltda.