CC BY-NC-ND 4.0 · Rev Bras Ortop (Sao Paulo) 2019; 54(05): 491-496
DOI: 10.1016/j.rbo.2017.10.011
Artigo de Revisão | Review Article
Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Published by Thieme Revnter Publicações Ltda Rio de Janeiro, Brazil

Fibromixoma acral superficial: Revisão da Literatura[*]

Article in several languages: português | English
Bruno Eiras Crepaldi
1  Grupo de Cirurgia da Mão e Microcirurgia, Hospital Santa Marcelina de Itaquera, São Paulo, SP, Brasil
,
1  Grupo de Cirurgia da Mão e Microcirurgia, Hospital Santa Marcelina de Itaquera, São Paulo, SP, Brasil
,
Fábio Duque Silveira
1  Grupo de Cirurgia da Mão e Microcirurgia, Hospital Santa Marcelina de Itaquera, São Paulo, SP, Brasil
,
Raul Itocazo Taira
1  Grupo de Cirurgia da Mão e Microcirurgia, Hospital Santa Marcelina de Itaquera, São Paulo, SP, Brasil
,
Celso Kiyoshi Hirakawa
1  Grupo de Cirurgia da Mão e Microcirurgia, Hospital Santa Marcelina de Itaquera, São Paulo, SP, Brasil
,
Marcelo Hide Matsumoto
1  Grupo de Cirurgia da Mão e Microcirurgia, Hospital Santa Marcelina de Itaquera, São Paulo, SP, Brasil
› Author Affiliations
Further Information

Publication History

13 August 2017

31 October 2017

Publication Date:
29 October 2019 (online)

Resumo

O fibromixoma acral superficial é um tumor raro de tecidos moles. Geralmente se manifesta por meio de uma massa indolor de crescimento lento que acomete principalmente adultos do sexo masculino na quinta década de vida. Ele normalmente afeta a região distal, com aparência polipoide. A aparência histológica é de uma massa dérmica sem cápsula, com fibroblastos fusiformes em estroma mixocolagenoso. A avaliação imuno-histoquímica do fibromixoma acral superficial normalmente é positiva para CD34 e CD99, com positividade variável para o antígeno epitelial de membrana. O tratamento consiste na exérese completa da massa tumoral.

Foi feita uma revisão da literatura atual sobre o fibromixoma acral superficial com ênfase na quantidade de casos relatados, na localização, nos métodos diagnósticos, nas características histológicas, nos diagnósticos diferenciais, e no tratamento.

Foram encontrados na literatura atual 314 casos descritos de fibromixoma acral superficial com localização variada, principalmente em pododáctilos (45,8%) e quirodáctilos (39,1%). Este tumor tem acometimento ligeiramente superior em homens (61%), e enorme variabilidade na faixa etária de acometimento.

O fibromixoma acral superficial é um tumor de tecido mole único que deve entrar no diagnóstico diferencial das lesões periungueais e subungueais acrais; o tratamento consiste da exérese simples. Mais estudos são necessários para que se conheça melhor essa patologia, descrita em 2001.

* Trabalho desenvolvido no Grupo de Cirurgia da Mão e Microcirurgia, Hospital Santa Marcelina de Itaquera, São Paulo, SP, Brasil. Publicado Originalmente por Elsevier Editora Ltda.